O que é home care?

O que é home care?

“Existe um paradigma que diz: quando um paciente precisa de fisioterapia, terapia ocupacional ou fonoaudiologia, ele está em reabilitação; quando precisa de serviços de enfermagem, está doente. Precisamos quebrar essa limitação e entender que home care, acima de doença, significa qualidade de vida, conforto e longevidade.”

Dra. Luiza Dal Ben

Em uma definição simplificada, assistência domiciliar ou home care é o cuidado especializado do paciente por uma equipe multiprofissional, com supervisão de um enfermeiro e a partir de um rigoroso alinhamento com as prescrições e orientações médicas.

Como alternativa às internações hospitalares por longos períodos, o atendimento de saúde passa a ser realizado no domicílio do paciente, tanto para casos descomplicados, como os que envolvem banhos e curativos, como para procedimentos mais complexos, que requerem internação domiciliar com os mesmos aparatos encontrados nos hospitais.

Porém, podemos ir além do conceito técnico de home care quando adicionamos a essa explicação a capacidade de propiciar ao paciente e sua família um atendimento inteiramente desenhado conforme a rotina e as dinâmicas daquela casa, com um toque de bem-estar, carinho e atenção – elementos importantes para a recuperação, segundo o Ministério da Saúde, quando aliados à assistência adequada.

Os resultados relatados por médicos, pacientes e familiares são identificados em cada história de vida que a Dal Ben coleciona. Entre os benefícios atestados do home care estão:

  • Personalização do atendimento;
  • Continuidade do tratamento hospitalar, trazendo tecnologia e pessoas especializadas do hospital para a casa do paciente;
  • Tranquilidade do paciente por estar perto de seus familiares;
  • Redução do stress relacionado à tensão e ao desconforto do ambiente hospitalar;
  • Menor exposição do paciente à infecção hospitalar;
  • Redução de intercorrências como úlcera por pressão, desnutrição e quedas.

O Ministério da Saúde também aponta como vantagens da assistência domiciliar a minimização de internações hospitalares e, consequentemente, a desocupação de leitos, o que permite melhorar a regulação dos serviços de urgência dos hospitais. A redução de custos chega a 80%, se comparado à internação hospitalar (estimativa do Departamento de Atenção Básica e Coordenação Geral de Gestão Hospitalar do MS).